Especialistas esclarecem dúvidas sobre Fotodepilação

Existem diversos métodos de depilação no mercado, e a fotodepilação é uma das que tem ganhado cada vez mais espaço. Com resultado mais duradouro, conquistou muitas mulheres e até homens. Entenda de uma vez como funciona este método.

Erica Carvalho, proprietária do estúdio Nanno, no Rio de janeiro, explica que a fotodepilação é um procedimento de depilação através da luz pulsada intensa (IPL).

“O método é indolor, não invasivo e muito eficaz quando falamos de eliminação duradoura de pelos indesejáveis”, afirma Erica.

Principais dúvidas sobre a fotodepilação

-Não se pode retirar os pelos entre sessões de fotodepilação?

Érica diz que com cera (quente ou fria) não.

“Mas é indicado que o pelo seja removido com lâmina de barbear, creme depilatório, ou qualquer método que apare, como uma máquina”, enfatiza.

“Porém, no dia da depilação o pelo não pode estar muito grande, porque senão não vai ser retirado pelo aparelho”, acrescenta a profissional Lucimar Barros do Studio Nanno.

Apesar de ser um tratamento mais duradouro e fazer com que cresçam cada vez mais fracos, o método não promete o fim dos pelos.

“Nenhum tratamento acaba de vez com todos os pelos”, destaca a também a profissional do Studio Nanno Cida Bento.

-IPL (luz pulsada intensa) funciona somente em pessoas com pele clara e pelo escuro?

O método funciona retirando o bulbo do pelo estimulado pela melanina.

“Por conta disso, pelos com pouca melanina são mais difíceis de serem arrancados, mas isso não é impossível. Para quem tem a pele escura, existem até seis fototipos que essa forma de depilação atinge”, esclarece Cida.

-Mas, afinal, quais são diferenças entre a fotodepilação e depilação a laser?

Erica explica que ambas se baseiam na luz para a destruição do pelo, além de serem métodos duradouros, o que é uma vantagem em relação ao procedimento com cera.

“A tecnologia ILP (Luz Pulsada Intensa) ainda trata a pele, estimulando a camada de colágeno e melhorando o quadro de foliculite”, acrescenta .

As principais diferenças entre os procedimentos, de acordo com a profissional, são: a área de contato da luz com a pele e o comprimento das ondas.

 “A IPL (Luz Pulsada Intensa) abrange uma área maior, fazendo com que a aplicação seja mais rápida. Além disso, ao contrário do laser, que possui apenas um comprimento de onda, ela emite uma luz mista com vários comprimentos deonda, que podem ir de 590 a 1.200 nanômetros, permitindo personalizar o tratamento de acordo com as características de cada cliente”, finaliza.

Serviço:

Studio Nanno – www.studionanno.com.br

Fonte: VHassessoria