No inverno nosso corpo gasta mais energia para manter a temperatura estável e, para compensar essa perda energética, precisamos consumir mais calorias. Boa pedida para este dias é a chama Comfort Food.

 

“Comfort Food” (´´Comida que Conforta´´) nasceu nos Estados Unidos, no início de 2002, justamente com o intuito de proporcionar alimentos com sabor familiar, encaixando-se perfeitamente aqui para nós, brasileiros. Desde então, a “Comfort Food” virou moda e ganhou espaço, tornando-se tendência entre os cozinheiros, chefs, restaurantes e até mesmo indústrias de alimentos, que detectaram a busca do consumidor pelas coisas mais simples, naturais e caseiras.

Contudo, como aquela sensação nostálgica em provocar sensações e emoções por meio da comida, através de pratos que remetam à infância, precisamos ter bom senso e consciência nutricional, e discernir entre comer para ter conforto e comer demasiadamente.

Inteligente é saber aliar seu consumo com uma alimentação saudável, e tê-las como parte de uma dieta equilibrada.

Como a necessidade do organismo em  consumir mais alimentos, logo vem a culpa de estar comendo demais e o medo de aumentar as medidas. Pensando nisso conversamos com a  nutricionista Adriana Pantaleão, da Clínica Nutrêz,  e ela sugeriu  substituições inteligentes para o “Comfort Food” sem culpa: 

– No fondue de queijo, em vez de somente pão branco utilize as versões integrais fazendo palitinhos de cenoura, brócolis e tomate cereja;

– Aquele tradicional bolo de cenoura pode se transformar num bolo de cenoura funcional com farinha de arroz, leite de coco e fubá;

– Use e abuse dos temperos picantes às preparações (pimenta vermelha, pimenta-do-reino, alecrim, manjerona, gengibre, etc), eles dão a sensação de calor e são pouquíssimos calóricos;

– No inverno, o consumo de frutas geladas diminui, mas podemos saboreá-las de outras maneiras. Ex: Banana assada com canela, maçã assada com calda de maracujá, pera cozida ao vinho;

– Adicione às sopas farelo de trigo ou de aveia, assim você terá uma refeição quentinha e rica em fibras. Elas aumentam a sensação de saciedade, ajudam a regular a função intestinal e a manter o colesterol em níveis normais;

– Aproveite para tomar sopas deliciosas, aconchegantes e quentinhas. Mas, fuja dos cremes cheios de creme de leite e manteiga, pois são muito calóricos, além de gordurosos e ricos em colesterol ruim;

– O tradicional chocolate quente pode ser substituído por chocolate com alto teor de cacau em sua composição. Ou então, substitua o chocolate quente por um chá quentinho, eles ajudam a aquecer o corpo e, alguns, até auxiliam no processo de emagrecimento, ajudam a eliminar as toxinas e são ricos em antioxidantes, além de acelerar o metabolismo.

Crédito: Adriana Pantaleão – Nutrição Clínica/Esportiva e Nutrichef Funcional – CRN 344429

Clínica Nutrêz – Av. Conselheiro Carrão, 1077 – sala 207 – Tatuapé

Tel: (11) 3477 6444