O Jogo dos Pontinhos, do “Programa Sílvio Santos”, do SBT, mexeu com um assunto delicado no Brasil, que envolve um passado polêmico, O STF e censura. Maisa e Lívia logo trataram de defender a liberdade expressão em frente ao dono do Baú.

Tudo começou quando o ex-dono do Banco Panamericano perguntou “Vocês acham que os juízes devem se defender da melhor maneira e, até mesmo, a imprensa que se comportar de forma inconveniente, fecha o jornal, a televisão?”, disse o Senor Abravanel, que não citou nomes. Entretanto, no mês de abril, a Revista Crusoé fez uma reportagem denunciando o juiz do Supremo, Dias Toffoli, e a excelência censurou o impresso. Para o azar dele, o caso tomou proporção maior e virou pauta nas redes sociais, nos jornais e também no Jogo dos Pontinhos.

Lívia Andrade tratou de exclamar: Sou a favor da liberdade. A gente demorou muito tempo para conquistar isso. Pensar fora da casinha faz o mundo evoluir, coisas novas acontecerem, acho bom isso. Não dá para dizer se tem alguém certo hoje em dia. É tanta corrupção que essa coisa que você está falando de proibição, fechar canal pode ser uma parada para perseguir certas pessoas ou certos veículos de comunicação. Isso é muito delicado. Aí volta a censura, as pessoas começam a ficar engessadas e a gente volta a virar um soldadinho de chumbo”, disse a atriz.

Apesar da pouca idade (16 anos), Maisa mostrou que tem opinião formada e concordou com a colega de trabalho na discussão: “Quanto mais poder e mais exposição, está mais vulnerável a receber julgamentos. Quando você é juiz, presidente, governador, tem sim as pessoas que não vão concordar com você. Quando a imprensa discorda com algo feito por alguém com cargo de mandar no país, tem todo o direito de criticar. Fechar ou tentar censurar esses veículos é uma atitude muito errada e imatura”, disse a apresentadora.

Elen Ganzarolli e Florina Fernandez defenderam que os veículos que mentirem devem sofrer punições, assim como não deve haver abuso de poder e censura. “Cabrito Tevez” não saiu do personagem, ironizou o assunto e gritou “Vai Corinthians”. Carlinhos Aguiar nao se aprofundou no tema, e disse que deve haver um bom senso.

Vale lembrar que a situação ocorreu no estúdio do SBT, onde o atual presidente da Republica, Jair Bolsonaro, foi na última semana a convite do dono da emissora. Bolsonaro é, publicamente, defensor da ditadura, período em que o governo brasileiro fechou redações e censurou veículos de comunicação. Episódio conhecido como AI-5.

Foto: Reprodução/Youtube