Foto: Reprodução/Divulgação

O funkeiro e DJ Jonathan Costa passou por um sufoco na madrugada desta sexta-feira (13), ao ser agredido por seguranças durante uma apresentação em Nova Friburgo, no RJ.

De acordo com que o site apurou, assim que Jonathan chegou ao evento, os contratantes pediram para que ele tocasse em um volume baixo, pois o alvará do evento só valia até as duas horas da manhã.  Após perceber que o som estava cada vez mais baixo e não alcançava todas as 3.000 pessoas presentes no evento, o funkeiro decidiu interromper a apresentação e permanecer no palco até o horário do fim do show, além de sugerir que o público reivindicasse o valor pago pelo ingresso.

Foi aí que os seguranças subiram ao palco e começaram a agredir Jonathan e sua equipe. No comunicado enviado à imprensa, o cantor revelou que foi um momento de muita violência.

“Quase me mataram! O público começou a gritar “Não à agressão”, a jogar gelo nos homens que me agrediam e minha equipe e alguns até subiram no palco para tentar me defender. Foi uma covardia! Só parou porque um policial militar chegou a tempo, me reconheceu e deu a ordem para me soltarem. Se a polícia militar não estivesse na redondeza para efetuar o mandato do alvará de som, poderia ter acontecido coisa pior. Senti a morte chegar (…) Fui discriminado por ser FUNKEIRO. Me agrediram na frente de mais de 3.000 pessoas por eu ser DJ de FUNK. E não sei o que mais me revolta: ser agredido fazendo o meu trabalho ou ser desvalorizado no único lugar do mundo que deveria ter respeito e orgulho de sua cultura.”, contou.

Veja abaixo o vídeo do momento da agressão: