O Dom Sebastião, rede de restaurantes fundada em Cuiabá, no Mato Grosso, foi criado por Paulo Leite, que, em 2010, buscava por novos desafios e se considerava jovem ao se aposentar com 54  anos. A ideia de um restaurante veio para trazer aos negócios o filho, Paulo Vitor Leite, que cursava hotelaria. A proposta deu certo, a pizzaria familiar virou uma rede com cinco unidades em Cuiabá e uma em São Paulo, na capital paulista, além de quatro unidades em instalação.  Em 2018 a empresa, que comercializa pizzas e pratos clássicos, calcula um faturamento de R$11 milhões.

A proposta da rede de pizzaria e restaurantes é ao mesmo tempo simples e sofisticada. Na prática, Paulo pai e Paulo filho fazem uma releitura de pratos pra lá de conhecidos da culinária brasileira, com ingredientes de primeira. A pizza de alho negro e o parmegiana com mussarela de búfala são os carros chefes do negócio.

“Sou engenheiro florestal e trabalhei por mais de 33 anos para o estado de Mato Grosso. Sinto que me aposentaram quando estava na minha melhor fase, com muito conhecimento adquirido e disposição para continuar”, comenta Paulo Leite, sobre o que o motivou a abrir o Dom Sebastião

Após passar boa parte da vida como engenheiro florestal com atuação na  gestão ambiental, Paulo se viu em um empasse: o que fazer após a aposentadoria? Acostumado a gerenciar grandes equipes e ajudar no combate de problemas complexos como o desmatamento na Amazônia, o recém-aposentado ainda não estava pronto para desacelerar.

“Queria abrir algo com um dos meus filhos, Paulo Vitor, na época um chef em formação e hoje um profissional premiado. Pensamos em uma pousada no Pantanal, mas a ideia de abandonar a vida na cidade não combinava muito com a minha família. Uma pizzaria então nos pareceu uma boa opção”, lembra Paulo.

O projeto nasceu ousado. A ideia de pai e filho era montar algo que surpreendesse os cuiabanos. Com arquitetura moderna, a dupla abriu a primeira unidade do Dom Sebastião. O espaço com 800m² conta com espaço kids, bar completo, dois fornos a lenha e adega climatizada.

“Nosso cardápio caiu no gosto do cuiabano. As pizzas possuem ingredientes de alta qualidade e farinha de longa fermentação , o que a deixa mais leve. Já nossos pratos possuem uma assinatura exclusiva, como o filé a parmegiana, feito com mussarela de búfala. Foram três anos de fila de espera todos os dias”, conta Paulo Vitor a respeito dos pratos e do sucesso da casa, que levou a abertura da segunda unidade.

“A sede era linda, mas reproduzir algo daquele tamanho não era viável. Fui então a fundo em pesquisas e encontrei uma nova tecnologia em fornos elétricos, que traz para a pizza a mesma qualidade das opções a lenha. Por meio deste equipamento foi possível entrar em shopping e outros locais que não aceitam os fornos a lenha, além de viabilizar o bom funcionamento de toda a cozinha em apenas 20m²”, conta o engenheiro a respeito da solução que viria a encorajar pai e filho a transformar o negócio em franquia, em novembro de 2017.

Com cardápio pensado para atender aos clientes no almoço e jantar, o Dom Sebastião possui atualmente dez unidades. Interessados em aderir ao negócio investem a partir de R$170 mil e optam por três modelos de negócio: loja de rua, shopping e quiosque. Para 2019 a empresa calcula abertura de oito novas unidades e busca por investidores em todo país.

“Inauguramos a primeira unidade em São Paulo em 2018. Localizada dentro de um shopping tradicional paulista, o quiosque já mostra que os produtos do Dom Sebastião caiu no gosto dos moradores locais. Agora, estamos prestes a abrir nosso segundo estabelecimento na capital”, finaliza Paulo.

 

Foto: Reprodução/Pexels