Por: Maria Flávia Bernardes, psicóloga 

 

Quando devo procurar terapia? 

A terapia é um excelente tratamento preventivo, por isso, deveria ser considerada uma prioridade em nossas vidas. Sei que para muitos a terapia como prevenção não é um investimento possível, mas em tempos tão desafiadores como estamos vivendo é importante ficarmos atentos a alguns sintomas. Mudança comportamental como irritabilidade, melancolia e tristeza recorrente são indícios importantes para buscar ajuda. Além disso, padrões de pensamentos negativistas e pessimistas, alterações fisiológicas no sono e apetite, emoções muito afloradas e sensibilidade também são parâmetros importantes para se atentar.

Foto: reprodução

Tristeza ou depressão? É preciso diferenciar o sentimento. 

 

Como diferenciar tristeza de depressão? 

A tristeza é uma emoção natural do ser humano e acontece alinhada a uma experiência ou um evento desagradável. Ela deve ser acolhida, sentida e assim, naturalmente ela tende a passar. Já a depressão é um estado mais melancólico que muitas vezes não está atrelado a nenhuma experiência ou evento externo. Tende a perpetuar por mais tempo e, por mais que a pessoa tente, não consegue reagir e lidar com esse sentimento.

Eu preciso de ajuda, mas não sei como pedir. Como devo fazer? 

Importante termos pelo menos uma pessoa a quem confiar, uma pessoa que possamos nos sentir seguros a expressar nossos sentimentos. Caso isso não seja possível, hoje temos meios que nos ajudam nessa conexão. Buscar um profissional qualificado sempre é a melhor solução.

Como sugerir que outra pessoa faça terapia? 

O melhor conselho sempre é o questionamento. Aquele que faz a pessoa pensar e chegar a uma conclusão por si só. A ajuda deve vir dessa forma. Faça algumas perguntas, deixe a própria pessoa refletir sobre o que está se passando com ela e assim, ela mesma perceberá a necessidade e a grandiosidade de um processo terapêutico.

Qual é a diferença do psicólogo e psiquiatra? 

O psiquiatra é um médico apto a transcrever medicamentos para tratar os sintomas de uma doença mental. A atuação do psicólogo não inclui os medicamentos e tem como foco principal o tratamento da causa para amenizar o sintoma psíquico.

Saúde mental é estar bem consigo mesmo e com os outros. 

Quais atividades eu posso fazer para melhorar a minha saúde mental? 

O autocuidado sempre é o melhor aliado para uma boa saúde mental. Exercícios físicos, alimentação saudável e hábitos diários que elevam a minha consciência e autoestima, como a prática de uma meditação e/ou oração, são fatores fundamentais.

O que se entende por saúde mental?

A saúde mental de uma pessoa está relacionada à forma como ela reage às exigências da vida e ao modo como harmoniza seus desejos, capacidades, ambições, ideias e emoções. Ter saúde mental é estar bem consigo mesmo e com os outros.

Como não adoecer com a correria do dia a dia? 

Conquistando hábitos diários saudáveis, que te geram prazer e te ajudam a se conectar consigo mesmo. Se dando um minuto de paz, criando atividades que liberam endorfina, serotonina e minimizam o cortisol (que é o hormônio do estresse). A questão também é fisiológica.

Síndrome de Burnout: é quando estresse, ansiedade e nervosismo levam ao esgotamento profissional

Foto: reprodução

Como consigo identificar se tenho Síndrome de Burnout? 

A Síndrome de Burnout é um desgaste que prejudica os aspectos físicos e emocionais da pessoa, levando a um esgotamento profissional. Quando a relação com o trabalho acaba se transformando em estresse, ansiedade e nervosismo intensos e a pessoa acaba sendo levada ao seu limite, físico e/ou emocional, sentindo-se extremamente cansada, desmotivada e esgotada. Alguns dos sintomas comuns são: distúrbio no sono, dores musculares e de cabeça, irritabilidade, alteração repentina de humor, falhas na memória, dificuldade de concentração, entre outros…

Como consigo controlar a minha ansiedade no dia a dia?

Esse assunto é bastante complexo para algumas linhas apenas. Mas, a princípio, o combate à ansiedade está também atrelado a hábitos saudáveis e exercícios físicos. Prestar atenção em seus padrões de pensamentos, buscando desenvolver uma mentalidade mais positiva, também é um excelente remédio. E, acima de tudo, desenvolver o que eu chamo de “o poder do agora”, ou seja, se conectar com seu tempo presente, viver e valorizar o que você é, faz e tem hoje!