Sacerdote fala da importância da celebração de Ressurreição e que a comemoração não acontece apenas um dia.

Jesus ressuscitou. A história ganha um novo significado. O que aconteceu com Jesus é milhares de vezes mais forte do que qualquer força que possamos descrever, porque o sepulcro era o fim de todos nós, a morte era a rival que no final da história dizia: “eu te venci!”. Mas Ele ressuscitou, então a morte que era o fim, vira uma passagem. Esta vida que era tudo, ganha uma outra dimensão com Deus, em Cristo Jesus.

Quem celebra a Semana Santa e se debruça sobre os acontecimentos, sabe que, verdadeiramente Jesus padeceu. É fato que Pôncio Pilatos existiu, é fato que o Cristo foi traído, que o homem de Nazaré, o Mestre da Galileia, terminou de uma forma horrenda e decepcionante para aqueles que pensavam em uma glória imediata. Uma morte numa cruz, escarnecido e desfigurado.

Uma morte desumana, crucificado às 9h e vindo a morrer às 15h. Quem já esteve no leito de morte de uma pessoa, sabe que diante do sofrimento agonizante, minutos se tornam horas e horas se tornam uma eternidade. Acredito no Santo Sudário, mas não há maior evidência, não há prova maior do que aconteceu, senão que o sepulcro estava vazio. Isso foi testemunhado e confirmado pelas mulheres na madrugada da ressurreição, assim como, pelos amados de Jesus.

Não é uma questão científica e histórica, mas os sinais do Ressuscitado falam por si só. Os sinais da presença do Deus vivo transformam a vida. São Paulo diz sobre o Cristo Ressuscitado: “Já não sou eu que vivo, pois é Cristo que vive em mim” (Gl 2,20). Não tem expressão melhor que essa. A certeza do Ressuscitado sentimos em nossa carne, em nossa vida, nosso pensar, nosso agir, nosso querer, nosso buscar. Vale a pena acreditar e ter esperança.

Uma santa e feliz Páscoa acontecerá na medida em que nos abrirmos à graça do Ressuscitado. E esse processo não é só um dia, a Páscoa não é somente um dia. É uma pena que muitos tenham reduzido essa festa apenas ao chocolate. Somos chamados a celebrar a grande Festa da Páscoa em oito dias, como se fosse um dia só, é a Oitava da Páscoa. Vale lembrar que todos os domingos, quando participamos da celebração eucarística, estamos fazendo memória da Páscoa do Senhor.