Conhecida pelo dom de lidar com negócios e finanças, a apresentadora do programa “Alto impacto”, Cris Bortolossi, comemora o sucesso de seu programa de Rádio, no ar desde 2013. No programa que vai ao ar todos os domingos na Rádio Mundial as 22h30, a comunicadora leva ao público mensagens otimistas, ensinamentos baseados em seu conhecimento e incentivos com sorteios de brindes além de entrevistas estimulantes com pessoas de destaque no meio artístico e empresarial.

Em entrevista exclusiva ao Portal Ego, a apresentadora conta sobre o início de sua carreira na área dos negócios, sua experiência como comunicadora e admite que apesar de ajudar a solucionar os problemas das pessoas, também lida com o fracasso em sua vida pessoal, mas dá dicas.

PE: Como surgiu o interesse pela área de negócios e finanças? Teve influência da família?

CB: Com certeza tive influência de minha família. Venho de uma família de negociantes e comecei a trabalhar super cedo, aos quinze anos gerenciava uma loja, aos 18 anos tive meu negócio próprio. Achava meio chato ficar presa em um único tipo de negócio, quando conseguia obter o lucro planejado começava a me sentir entediada, então buscava algum outro tipo de negócio.

PE: Como você se vê como pessoa? Quais de suas características você acredita que contribuem para o seu sucesso?

CB: Me vejo como uma pessoa otimista que busca prazer em estar viva, consciente de que não sou melhor que ninguém. A principal característica que me remete ao sucesso é que sou estrategista e persistente, então sempre busco alternativas para os intemperes que aparecem pela frente.

PE: O que levou uma mulher de negócios a se tornar também uma comunicadora?

CB: Um amigo me convidou para apresentar um programa junto com ele e em seguida me desafiou dizendo que era ele que segurava a audiência, estou na rádio até hoje.

PE: Como é apresentar um programa de rádio? Você apresentaria um programa na TV?

CB: Apresentar o programa ao vivo faz me sentir pertinho das pessoas e quando ocorre a oportunidade de interagir com elas, meu prazer aumenta. A cada programa tenho oportunidade de conhecer novas pessoas, divulgar vários trabalhos, compartilhar a alegria e incentivar quem está do outro lado do rádio e o sentimento que tudo isso produz é impagável. Com certeza apresentaria um programa de TV de qualidade, quem sabe recebo algum convite futuramente.

PE: Com sólida formação, você ainda busca aprender e de que forma?

CB: Sempre busco aprender, sou uma pessoa que não curte a rotina, então busco a todo instante novos desafios.

PE: Pode-se dizer que você tem o dom de transformar negócios falidos em negócio de sucesso, alguma vez você já lidou com o fracasso em sua vida?

CB: A vida é feita de altos e baixos, no amor, no sexo, no profissional, enfim, sempre temos que lidar com o fracasso, o importante é saber segurar a emoção e no meio do turbilhão, parar, respirar e se colocar do lado de fora do problema para enxergar uma saída.

PE: Como você se vê daqui a 10 anos?

CB: Francamente, não penso mais nisso. Parei de ficar imaginando como estarei em determinado tempo e comecei a valorizar o plantio das sementes.

Foto: Reprodução/Internet