Com apenas 18 anos de idade, Luquinhas é a nova sensação do pop funk.

O jovem loiro de Santana do Parnaíba é antenado, educado, talentoso e chega com uma nova proposta no pop-funk, letras sem apelo, sem linguagem sexual explícita (como a maioria dos funkeiros) e que tem como objetivo levar os jovens para a pista de dança para se divertirem.

Nessa semana, Luquinhas gravou o clipe da sua música de trabalho “Louca Garota”  em uma lanchonete estilo anos 50 com a participação de aproximadamente 40 pessoas e com direção de Kondzilla.

Quando e como começou a sua carreira na música?

Eu comecei a cantar 4 anos atrás, quando tinha apenas 14 anos. Todo ano a prefeitura da cidade em que moro (Santana de Parnaíba) fazia eventos em datas comemorativas, até que um dia eu decidi participar de um show de talentos que aconteceu em um dos eventos, a galera gostou bastante e no outro dia fui para o estúdio gravar uma música que escrevi na madrugada daquele mesmo dia. A música bateu 9 mil visualizações em 1 semana e desde então eu não parei mais!

Quem são suas influências?

Tenho como influência vários artistas internacionais, como Austin Mahone, Sean Kingston e o DJ Marshmello. Nacionalmente, eu me inspiro em artistas que seguem a mesma linha que eu, como Anitta, Ludmilla e os cantores Buchecha e Menor.

Como foi gravar o primeiro clipe produzido pelo Kondzilla?

Foi a realização de um sonho! Foram mais de 40 pessoas focadas para que esse trabalho saísse perfeito, sem contar que a equipe Kondzilla é perito no que faz. Tudo ocorreu da melhor maneira possível e agora a ansiedade é para o lançamento!

O que podemos esperar de ”Louca Garota”?

Louca Garota é um Hit! Não há dúvidas de que a música fica na cabeça, nunca recebi uma crítica negativa da música, apenas positiva. Então creio que a música será uma das mais tocadas de 2018, pelo menos, é o que espero! 

 

Quais são seus planos futuros para a carreira?

Tenho vontade de gravar com qualquer uma das minhas inspirações, ser um artista internacional e não apenas ser conhecido nacionalmente. Quem sabe compor uma música junto com o Austin ou até fazer um som com um DJ da gringa!

Como vc vê o funk no Brasil?

O funk no Brasil é feito de episódios, uma hora você está lá em cima e em pouco tempo pode estar lá em baixo. Em relação a visão da sociedade no estilo funk, hoje em dia ele é mais aceito, principalmente no Pop, onde você pode observar crianças, jovens, adultos e até idosos curtindo um estilo diferente que vem dominando o Brasil a cada dia.