A internet sempre foi parceira no sentido de aproximar pessoas, no início com os famosos chats nas salas de bate-papo ou de aplicativos como o orkut.  Devido ao tempo escasso para a busca de  relacionamentos, muitos consideram os aplicativos  como a maneira mais prática para se encontrar o amor ideal.
Nossa equipe colheu  depoimentos de diversos usuários desses aplicativos e descobriu também que foi desenvolvida uma peça de teatro para abordar o tema. Afinal esses aplicativos funcionam ou não funcionam?
O extinto orkut foi o responsável em aproximar a cantora Suelem Cury (Mulher Pera) e o marido Jamil Cury. Juntos há alguns anos, hoje comandam uma empresa ligada ao ramo de lustres de cristais.
Os sites de  namoro e relacionamento foram desenvolvidos para facilitar o encontro entre as pessoas e são interessantes porque otimizam tempo e até mesmo custos. Existem vários aplicativos com milhões de perfis e “Tinder”, “Baddoo”, “C-Date”, “Be2”, “Grindr”, “Par Perfeito”, “Happn” são os preferidos dos solitários ou amantes de aventuras.
Conversamos com dezenas de pessoas, usuárias de aplicativos que contaram suas experiências, grande parte foram mal sucedidas porque as pessoas utilizam uma série de ferramentas para  melhorar sua imagem virtual e quando aparecem ao vivo, acabam decepcionando o outro lado. Outros omitem serem casados e as pessoas descobrem e acabam gerando constrangimentos. Vejam o que algumas pessoas falaram para nossa equipe:
_________________________________________________________________________________________
“Marquei um encontro com uma loira linda e quando nos encontramos ela não tinha citado que tinha 1,30m de altura, mas mesmo assim nos relacionamos por um período e hoje somos bons amigos”, declara um universitário que mora em Alphaville “
_________________________________________________________________________________________
“Tive uma decepção e um susto. Marcamos em um sofisticado bar no Itaim Bibi e quando ele chegou era muito estranho. Sentamos, ele questionou sobre tudo da minha vida e elogiou uma tatuagem que tenho no meu pé. Com o restaurante cheio, ele se jogou ao chão e começou a beijar o meu pé enlouquecidamente. Fui embora na hora!”, declara uma jovem da zona norte paulistana.
_________________________________________________________________________________________
“Pela manhã conversei com um rapaz que trabalhava próximo ao meu escritório, marcamos de nos conhecermos e acabamos transando em um estacionamento de um hipermercado.  Depois disso, ele me bloqueou.”, conta uma usuária da zona sul de S.Paulo.
_________________________________________________________________________________________
“Esses aplicativos funcionam para sexo rápido e descompromissado. Já cheguei a sair com três mulheres no mesmo dia”, afirma Carlos André que tem perfis em diversos aplicativos e declara ter ser envolvido com mais de 100 mulheres.
_________________________________________________________________________________________
Situações como as citadas acima, acabaram gerando  uma série de inconvenientes para usuários e mexem com a saúde mental gerando ansiedade e as vezes até depressão.  Nos Estados Unidos estão fazendo estudos sobre esse novo tipo de comportamento.
Recentemente os telejornais noticiaram golpes envolvendo grandes quantias de dinheiro feitos por estelionatários que abusaram da fragilidade de usuárias desses aplicativos, que estavam em busca do príncipe encantando e encontraram bandidos fantasiados de amantes.
Mas existem experiências muito bem sucedidas nesses aplicativos:
“Comecei a conversar com José  no aplicativo e marcamos um encontro em uma estação de trem próxima ao trabalho dele e foi match imediato na vida real e amor à primeira vista. Hoje moramos juntos e somos casados oficialmente”, declara Rodrigo, conhecido profissional de moda em SP.
Rosane sempre procurou encontrar o amor através  de um aplicativo e chegou a namorar um militar durante 1 mês que gastava horas falando de seus casos e isso me assustava. “Sempre procurei marcar meus encontros para conhecer os pretendentes sempre em locais públicos, mas os encontros eram para conhecer as pessoas e bater papo. Cheguei a conhecer umas 10 pessoas, mas nada rolava, além de extensos bate-papos. Minha filha chegou a me alertar que poderia pegar eu ser vista cada semana com uma pessoa diferente no mesmo local, mas nunca me preocupei com isso, Mas nada nunca dava certo. Uma amiga me obrigou a mudar de aplicativo (rs), me cadastrei em em menos de 2 minutos conheci o Carlos e estamos juntos há 5 anos.  Depois de 2 minutos de utilização do aplicativo, acabei deletando minha conta, afinal tinha encontrado a pessoa ideal e estou muito feliz”
Pensando em diversas situações relacionadas ao tema “relacionamento” e com umas experiências (positivas e negativa), a escritora e atriz Fernanda Faria, que também é palestrante criou o espetáculo “Passa, Passa, Passa, Match!” que terá única apresentação no Teatro do Shopping West Plaza, no próximo dia 21 de Março.
Fernanda é palestrante e ministra cursos de autoconhecimento, oratória e auto-estima e fala do processo de criação do espetáculo:
“Fiz várias pesquisas de campo com pessoas na rua, sobre experiências em aplicativos de relacionamento, o que serviu de matéria-prima para o espetáculo que está leve e muito divertido. Ele narra a estória de Jhennyffer Jhullvetty, uma mineirinha que saiu de sua cidade natal com o desejo de desbravar o mundo e ao ouvir a música Jeniffer – aquela do Tinder – se identificou de imediato e foi atrás da busca do amor de sua vida e passou por diversas situações e encontros amorosos. Quer saber mais? Vamos ao teatro. Tenho certeza que se divertirá muito”.
_________________________________________________________________________________________
SERVIÇO

Passa, Passa, Passa… Match! Histórias de Tinder com Jhennyffer Jhullyetty

Estreia: 21 de março de 2020

Local: Teatro West Plaza – Av. Francisco Matarazzo, s/n – Água Branca – SP

Horário: 21h

Ingressos: R$ 60,00 (inteira) / R$ 30,00 (meia) / R$ 24,90 (Antecipado site e bilheteria)

Classificação etária: 16 anos

Duração: 60 minutos

Capacidade: 110 Lugares

Gênero: Comédia (nada) romântica